Terceira Idade nas Redes Sociais: Dicas de Social Media Marketing

Quando você ouve falar de redes sociais, qual o tipo de usuário que você idealiza? Jovem, antenado e ativo em várias plataformas, certo? Esse é o segmento mais comum nas várias redes sociais, mas não é o único. Na realidade, existe uma faixa etária que tem invadido gradualmente a internet: a chamada terceira idade.

De acordo com a pesquisa realizada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) em janeiro deste ano, cerca de 20% dos idosos brasileiros têm acesso à internet.

Segundo o mesmo estudo, o número de pessoas com mais de 50 anos conectadas à web  aumentou cerca de 222,3% entre 2005 e 2011, ou seja, num período de apenas 6 anos 5,6 milhões de idosos passaram a aceder à internet de forma regular.

 

Idosos na internet

Fonte: Veja

 

Também os hábitos online dessa faixa etária se modificaram. Hoje em dia, os idosos conectados não se contentam em ter apenas uma conta de email ou em passar alguns minutos pesquisando no Google. Eles estão muito mais ativos e seus principais destinos na internet são portais de notícias, bancos e sites de relacionamentos, que acessam a partir de seus laptops e celulares.

Mas é nas redes sociais que os usuários mais velhos estão investindo mais tempo online. Os resultados da pesquisa levada a cabo pela empresa All Assisted Living Homes revelam que, em 2010, 11% dos usuários do Facebook estavam acima dos 65 anos. E as razões que os levam a procurar as redes sociais não são muito diferentes das que movem as outras faixas etárias: eles querem manter o contato com amigos e familiares, fazer novas amizades, partilhar fotos, jogar jogos online e tirar partido de promoções e concursos exclusivos.

 

Apesar da relevância dos números apresentados, são poucas as empresas que fazem (bom) marketing nas redes sociais para esse segmento. As razões para se cadastrarem numa rede social podem ser semelhantes às das restantes faixas etárias, mas este não deixa de ser um grupo de pessoas com caraterísticas únicas, que vão muito para lá da idade.

Por essa razão, no planejamento da estratégia de marketing nas redes sociais da marca, existem alguns aspectos que você não pode esquecer:

  • Antes de mais, conheça o seu público alvo. A marca pretende chegar aos idosos ou aos seus filhos? Quem tem a decisão de compra sobre o produto pode não ser a mesma pessoa que o consome.
  • Para marcas que já estão presentes nas redes sociais, considere novos perfis para este segmento. Desta forma, você pode criar campanhas e conteúdos direccionados para seu público alvo, conseguindo maiores níveis de engajamento.
  • No processo de criação de conteúdo, tenha em consideração o recente estudo que indica que esta faixa etária dá mais importância às imagens e às histórias e tende a ignorar conteúdos promocionais.
  • Sites e aplicativos direcionados ao público mais velho devem facilitar a vida desses usuários e não o contrário! A tipografia e tamanho das letras devem ser maiores e as informações mais importantes devem estar mais acessíveis. Tanto os sites como os aplicativos devem ser intuitivos e devem ser acompanhados de um pequeno tutorial que ensine como usá-lo.

 

Aplique estas boas práticas o quanto antes. Para além dos idosos brasileiros possuírem capital próprio para adquirir seus produtos, eles têm muito interesse em usar novas tecnologias, tornando essa faixa etária uma oportunidade de negócio valiosa.

Sua empresa já está apostando nesse público? Conte-nos sua experiência nos comentários.