Redes Sociais: Dicas para Instituições de Solidariedade

Para a maioria das empresas, as redes sociais são ferramentas digitais que fazem parte de uma estratégia de marketing global cujo objetivo final é a venda dos produtos ou serviços da marca. Mas e se pensarmos nas instituições de solidariedade? Será que estas organizações podem conseguir mais donativos ou voluntários utilizando estas plataformas?

Dispondo geralmente de um orçamento muito limitado, as instituições de solidariedade necessitam de conhecer as redes sociais para tirar o máximo partido das suas ferramentas e para elaborar ações criativas com os poucos recursos de que dispõem.

Confira as nossas dicas de como as instituições de solidariedade podem utilizar as redes sociais para promover as suas causas:

 

Facebook

O Facebook é o local ideal para cativar seus seguidores através de histórias, e isso não é exceção para as instituições de solidariedade. Utilize sua página para partilhar testemunhos, fotos ou vídeos de casos de sucesso ou de causas que precisam do apoio dos seus seguidores.

Comova sua audiência e incite à partilha, aos comentários e às curtidas. É esta relação emocional que vai também desencadear os donativos ou o interesse dos voluntários em se alistar.

Tire todo o partido das funcionalidades desta rede social: use e abuse do conteúdo multimédia (com maior importância no novo modelo de News Feed) e experimente incluir o botão “Doar” nos posts com maior relevância. Para o ajudar a construir a presença da sua organização nessa plataforma, o Facebook disponibilizou o guia Building your Presence with Facebook Pages: a Guide for Causes and Non Profits, que você pode baixar aqui.

 

Twitter

O Twitter é uma excelente ferramenta para interagir com sua audiência. No entanto, o limite de 140 caracteres pode revelar-se um desafio.

Uma forma criativa de  gerar um maior número de donativospara as instituições de solidariedade, é incluir um link para a landing page de contribuições e referir de que forma o donativo de sua audiência pode fazer toda a diferença.

Sempre que uma contribuição for feita, mencione o doador em um de seus tweets e de que forma o seu donativo ajudou: quantas pessoas tiveram direito a uma refeição, quantas receberam ajuda médica, etc.

 

Pinterest

Segundo dados revelados pela empresa , 7 em cada 10 usuários do Pinterest confessam que esta plataforma é o ponto de partida para algumas das suas compras.

Apesar do objetivo das instituições de solidariedade ser diferente, estes são dados que não devem ser ignorados, uma vez que, em última análise, se tratam de conversões, independentemente de serem vendas ou donativos.

Comece por criar painéis com imagens relacionadas com a sua causa. São várias as possibilidades e, neste momento, a sua imaginação pode ser uma excelente aliada: adicione pins de casos de sucesso, das comunidades ajudadas pela organização, dos voluntários trabalhando ou de bastidores de eventos.

A etiqueta de preço pode ser muito útil também para as instituições de solidariedade: crie um pin que direcione seus seguidores para a landing page de doações e adicione-lhe o valor de donativo mínimo. Assim, os usuários do Pinterest ficarão sabendo que podem ajudar, mesmo com pequenos valores.

Não se esqueça de criar uma relação com os seus seguidores e com outras organizações de solidariedade, dando repins ou seguindo de volta.

 

LinkedIn

Esta é a plataforma ideal para chegar aos grandes influenciadores de opinião e captar a atenção de usuários com características profissionais e interesses específicos.

As instituições de solidariedade podem inclusive utilizar ferramentas, como o LinkedIn Events, ideal para comunicar um evento importante para a organização ou para a comunidade.

LinkedIn for Nonprofits disponibiliza dicas e vídeos para que as instituições de solidariedade tirem o maior partido possível desta rede social para alcançar os seus objetivos.

 

YouTube

O YouTube é largamente utilizado pelas marcas para campanhas de marketing online e com resultados muito positivos. Mas será que as instituições de solidariedade podem beneficiar da presença nesta plataforma? Claro que sim!

Crie conteúdos que mostrem o dia a dia da instituição ou da comunidade que servem, capte seus testemunhos e divulgue nesta plataforma, incluindo em cada um dos vídeos um call to action que leve ao donativo. Outra forma criativa de utilizar o YouTube é através da realização de campanhas que envolva a participação dos usuários.

Confira mais dicas sobre como utilizar os recursos disponibilizados pela plataforma para as instituições de solidariedade no YouTube Charities Programme ou consultando o guia Playbook Guide: YouTube for Good, que você pode baixar .

 

Google

Tal como o Facebook, o Google vive de histórias contadas a partir de conteúdo visual. Mas não só!

As instituições de solidariedade podem utilizar ferramentas como o Google Hangouts para criar Webinars que ensinem seus seguidores e os motivem para suas causas. Por isso, é essencial apelar aos usuários com conteúdo de qualidade e com um call to action, quer este leve a um donativo ou a uma mudança de comportamento.

Também o Google tem uma página dedicada às instituições de solidariedade, a Google for Non Profits, onde pode conferir dicas de como utilizar as diversas ferramentas Google, e exemplos do trabalho realizado por outras organizações.