Conteúdo Viral: Como Começar uma Epidemia

Em 21 de Dezembro de 2012, “Gangnam Style”, de Psy, tornou-se o primeiro vídeo no Youtube a atingir 1 bilião de visualizações e continua a acumular reproduções. Mas o que fez com que o vídeo da música desse sul coreano, cantada num idioma que a maioria desconhece, se tornasse um conteúdo viral?

Essa é a resposta que os profissionais de marketing de conteúdo procuram e vão continuar procurando pois nem todas as tentativas para a sua criação de conteúdo viral são bem sucedidas.

Para começar a propagar sua epidemia de conteúdo, reunimos algumas características comuns aos artigos, posts, vídeos ou imagens virais:

 

Conteúdo viral evoca emoções

Se o conteúdo que você criou é capaz de apelar às emoções dos usuários de sua comunidade, então você está no bom caminho para que ele se torne viral. É este laço emocional que determina se o leitor apenas “curte” seu conteúdo ou se “curte” ao ponto de partilhar seu post com outros usuários.

Emoções no Conteúdo Viral

Fonte: SEOmoz

As emoções que mais estão relacionadas com a viralidade de um conteúdo são a raiva, o terror e a ansiedade.

De acordo com o gráfico revelado pela SEOmoz, o conteúdo que envolve emoções de baixa energia, como a tristeza, tem menos probabilidades de ser partilhado.

 

Conteúdo viral não é comercial

Esqueça tudo o que lhe disseram sobre calls to action. Na criação de conteúdo viral, este tipo de estratégia, assim como as promoções, não resultam!

Se quer ter mais probabilidades de seu conteúdo se tornar viral, você deve colocar sua atitude comercial de lado e ser extremamente generoso, não exigindo nada em troca dos membros de sua comunidade.

Pode parecer contraditório não incluir um call to action no post que tem por objetivo originar o maior número de partilhas. Mas com um conteúdo sem qualquer mensagem comercial, sua empresa conseguirá uma maior exposição.

 

Conteúdo viral é apresentado em formatos criativos

Não escreva apenas artigos no seu blog. Por muito criativos que sejam, não são suficientes para colocar os membros de sua comunidade falando de você.

Os tipos de conteúdo que geram mais partilhas e comentários são vídeos, imagens, infográficos, aplicações e ferramentas. Coloque sua imaginação a funcionar, pois os conteúdos criativos são também os mais virais!

 

Conteúdo viral é mais longo

Se você continuar a apostar em artigos de blog como sua fonte primária de conteúdo, escreva artigos mais longos e que abordem os temas de uma forma mais exaustiva.

Posts Longos Conteúdo Viral

Fonte: SEOmoz

 

De acordo com análises recentes divulgadas no blog da SEOmoz, os artigos com um maior número de palavras obtiveram um número muito maior de partilhas, quando comparados com artigos mais curtos.

É compreensível se pensarmos no nosso próprio comportamento: se gostamos de um assunto, existe uma maior tendência em partilhar com os amigos artigos interessantes e completos sobre esse tópico.

 

Conteúdo viral deve ser divertido

Esta é, talvez, a característica mais consensual: a maioria dos conteúdos virais é divertido e foi criada com o objetivo de nos fazer rir.

O humor pode não ser a estratégia que está procurando, mas a verdade é que os conteúdos com piadas inteligentes e subtis são os mais partilhados e comentados na internet.

Se ainda não conhece, aconselhamos que siga por uns dias os posts de George Takei no Facebook para perceber esse fenómeno.

 

Conteúdo viral nem sempre se torna viral

Para criar conteúdo potencialmente viral, não basta seguir um conjunto de regras. Seria ótimo se assim fosse; no entanto, mesmo seguindo todas as diretrizes, você vai errar o alvo.

O segredo é testar o conteúdo e adaptar sua estratégia de acordo com os resultados: se o conteúdo virar epidemia na internet, continue! Se não, pare de insistir!